Homem com as duas mãos na cabeça e com feição de estresse

Estresse diário: quais as consequências a longo prazo desse problema?

O estresse é uma reação do organismo a fatores que podem prejudicar o funcionamento do organismo, sendo um problema de saúde frequente nos dias atuais. Na cidade de São Paulo, por exemplo, 40% da população sofre com essa condição que pode comprometer a qualidade de vida e o bem-estar geral. O estresse diário desencadeia diversos efeitos no corpo, tornando os indivíduos que vivem em ambientes estressantes mais suscetíveis ao desenvolvimento de transtornos.1 2 3 Entenda quais as consequências a longo prazo desse problema e conheça os principais sintomas de estresse.

Efeitos do estresse prolongado no organismo

Alguns dos sintomas de estresse crônico, como irritação, queda de produtividade, impaciência e desmotivação, estão associados a problemas cognitivos e de memória. Isso acontece porque o estresse prolongado contribui para uma alta concentração de cortisol, hormônio que provoca distúrbios neurológicos e perda de volume do hipocampo, área do cérebro responsável por esses processos.3

Além disso, o acúmulo de estresse pode causar alterações fisiológicas no cérebro semelhantes àquelas observadas em pacientes com depressão e outros transtornos de humor. Apesar de nem sempre quadros depressivos serem decorrentes de respostas ao estresse, o estresse diário podeprovocar o surgimento de sintomas da depressão.3 4

Outra consequência do estresse diário a longo prazo é a queda na função imunológica, tornando os indivíduos mais vulneráveis a infecções. Estudos indicam que os mediadores do estresse exercem efeitos sobre o sistema imunológico que incluem a inibição das células de defesa, o que explica a baixa imunidade.3

É importante identificar as fontes de estresse diário

Diversos fatores estão relacionados ao surgimento do estresse. Na maioria dos casos, os agentes estressores estão presentes no dia a dia dos indivíduos, como é o caso do estresse no trabalho. A ocupação profissional pode trazer autorrealização e relacionamentos interpessoais satisfatórios, mas também pode ser uma fonte de estresse quando as exigências impostas ultrapassam os limites dos trabalhadores.2 5

Além do estresse no trabalho, uma rotina alimentar desequilibrada também pode contribuir para o surgimento do problema. A cafeína, por exemplo, quando consumida em excesso, pode estimular sintomas de estresse, como ansiedade, agitação psicomotora, nervosismo, inquietação e fluxo inconstante de pensamentos.5 6

Referência:
1. Bula do produto.